Em
O Primeiro de Janeiro

23 Dec 2022, 0:00

137

Zelensky partilha vídeo da árvore de Natal no Porto

Partilha surge depois de ter feito um apelo para um "apagão" global solidário para com os ucranianos.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, usou as redes sociais para partilhar um vídeo da árvore de Natal no Porto.

A partilha surge depois de ter feito um apelo para um "apagão" global solidário para com os ucranianos. 


A câmara do Porto respondeu a esse pedido e apagou as luzes da árvore de natal que está colocada na Avenida dos Aliados.

 

A Câmara do Porto associou-se à campanha #LightUpUkraine e desligou simbolicamente as luzes dos Paços do Concelho e da Árvore de Natal.

Num comunicado, divulgado na passada terça-feira, a autarquia esclareceu que iria voltar a associar-se a ações de solidariedade com o povo ucraniano, juntando-se à campanha lançada pelo presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, intitulada "#LightUpUkraine".

Esta campanha consiste no desligar das luzes em apoio à Ucrânia, afetada por apagões causados por ataques russos contra as suas infraestruturas de energia.

A iniciativa estava prevista para as 20h na Ucrânia (18h em Portugal Continental) de quarta-feira. Nesse dia e a essa hora, entre as 18h e as 18h30, tanto o edifício da Câmara do Porto, como a Árvore de Natal desligaram, simbolicamente, as suas luzes.

Esta campanha pretendia também arrecadar pelo menos dez milhões de dólares (cerca de 9,4 milhões de euros) para financiar a compra de mil geradores elétricos, para permitir o funcionamento dos hospitais ucranianos.

Num apelo à solidariedade, Zelensky sublinhou, na segunda-feira, que quando os apagões mergulham as pessoas na escuridão durante horas, isso significa que o inimigo não quer apenas tirar a luz, mas "tudo o que faz parte da vida" dos cidadãos. "É assim que vivemos agora na Ucrânia, defendendo-nos de um inimigo que veio para nos destruir", salientou.

"Precisamos do seu apoio. Por todos os médicos forçados a operar no escuro. Por todos os pais e mães que fazem o possível para dar às suas famílias o que precisam, mesmo no escuro. Por todos os ucranianos que acreditam na liberdade, apesar da escuridão", frisou Zelensky.

A cidade de Kiev e dez regiões da Ucrânia foram afetadas na segunda-feira por cortes no fornecimento de eletricidade, após nova vaga de ataques com 'drones' pelas forças russas, adiantou o operador ucraniano Ukrenergo.

Nos últimos meses, Moscovo tem atacado infraestruturas de energia, deixando milhões de ucranianos sem fornecimento elétrico, uma situação que causa maiores preocupações com o inverno.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou pelo menos 6,5 milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões de refugiados para países europeus, pelo que as Nações Unidas classificam esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Neste momento, 17,7 milhões de ucranianos precisam de ajuda humanitária e 9,3 milhões necessitam de ajuda alimentar e alojamento.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.755 civis mortos e 10.607 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
Cidade do Porto recebe meeting internacional de natação artística
23/02/2024
Promotor de estrutura na praia do Ourigo reclama indemnização de 1,7 ME
23/02/2024
Pioneirismo de médico portuense Barreto Guimarães destacado pelo The Guardian
23/02/2024
Remadores portuenses no Campeonato do Mundo de Remo
23/02/2024
Porto recebe Circuito Nacional de Escalada de Bloco
23/02/2024
Agenda do futebol de formação do Boavista FC
23/02/2024
“A história dele não é só importante no FC Porto, mas também no futebol nacional”
23/02/2024
Souto Moura assina megaprojeto imobiliário na antiga termoelétrica do Freixo
23/02/2024
Cidade do Porto recebe meeting internacional de natação artística
23/02/2024
Promotor de estrutura na praia do Ourigo reclama indemnização de 1,7 ME
23/02/2024