Arriva procura sócios para reativar o projeto ferroviário entre Porto-Vigo-Corunha

Quatro anos após o anúncio do arranque e dois desde que admitiu a paragem devido à pandemia, a Arriva retomou o seu projeto de serviço ferroviário entre A Coruña, Vigo e Porto, para o qual procura parceiros que a ajudem a colocar em funcionamento, conforme foi confirmado pela empresa britânica, que faz parte do grupo alemão Deustche Bahn.

"O projeto é interessante para a Arriva", entendendo a empresa que "há uma procura social e interesse no projeto", pode ler-se numa respota enviada por fonte oficial da empresa à Lusa, após os jornais Faro de Vigo e Expansión terem noticiado que o retomar do projeto da ligação estaria em equação.
A publicação de Vigo titula hoje que a Arriva "procura parceiros" para operar a ligação, tendo a empresa respondido à Lusa que "mantém conversações com outras empresas do setor de forma regular".
Porém, a empresa alerta que apenas se se derem "as condições oportunas o projeto pode ser executado", apontando essas condições: "recuperação da procura, que se resolvam os aspetos de infraestruturas" e ainda "acesso a material circulante".
"Em Espanha não há um mercado de aluguer de comboios tão maduro como há noutros países da Europa. A disponibilidade é muito limitada, pelo que se torna necessária a compra de veículos, e isto requer prazos", respondeu fonte oficial da Arriva à Lusa.
Em 2018, o grupo Arriva, através da companhia Arriva Spain Rail, pediu à Comissão Nacional de Mercados e Concorrência (CNMC) espanhola autorização para operar numa nova linha entre as duas cidades, num percurso de 342 quilómetros que espera percorrer em duas horas e 46 minutos, com sete paragens: A Corunha, Santiago de Compostela, Pontevedra, Vigo Guixar, Valença, Nine e Porto-Campanhã.
A autorização para operar este serviço foi concedida em 2019 pelo regulador espanhol, autorizando a empresa pertencente à Deutsche Bahn a concorrer com o operador ferroviário do Estado espanhol (Renfe) no percurso entre o Porto e a Corunha.
De acordo com o regulador espanhol, a entrada da Arriva não afeta o equilíbrio económico do contrato de serviço público da Renfe com o Estado espanhol e vai beneficiar os passageiros ao fornece novas frequências e permitir o aparecimento de serviços combinados de autocarros.
No final de 2020, o Faro de Vigo noticiou que, devido à pandemia de covid-19, o projeto entraria em 2021 sem calendário definido e estava em "reavaliação".
Atualmente, encontra-se em circulação o serviço Celta, da Renfe e da CP - Comboios de Portugal, que liga as estações de Porto-Campanhã a Vigo-Guixar com paragens em Nine, Viana do Castelo e Valença, num percurso com uma duração de cerca de duas horas e 20 minutos.

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
Distinção do Aeroporto do Porto é "recado para a TAP, numa altura em que tudo corre mal em Lisboa"
26/06/2022
Sonae cria plataforma de emprego para ajudar refugiados ucranianos
26/06/2022
Filmagens do filme “Velocidade Furiosa” obrigam a cortes em vários troços da A24
26/06/2022
Hause Plants anunciam tour com mais de 15 datas em Portugal
26/06/2022
Livro “Norte com Tradição” apresentado este sábado
25/06/2022
Anulação do direito ao aborto nos EUA "interpela todo o mundo", diz Vaticano
25/06/2022
Reunião com enfermeiros não definiu retroatividade e negociações continuam
25/06/2022
Luísa Salgueiro: Câmara do Porto ficou "fragilizada e isolada" com saída da Associação Nacional de Municípios
25/06/2022
Distinção do Aeroporto do Porto é "recado para a TAP, numa altura em que tudo corre mal em Lisboa"
26/06/2022
Sonae cria plataforma de emprego para ajudar refugiados ucranianos
26/06/2022