Alojamento Local sobe em janeiro, mas ainda fica aquém de 2020

Os números do alojamento turístico do primeiro mês de 2022 são animadores e indicam já uma clara subida face a dezembro de 2021, mas ficam ainda longe de 2020. 

O setor do alojamento turístico registou, no primeiro mês do ano, 853,2 mil hóspedes e 2 milhões de dormidas, correspondendo a aumentos de 183,7% e 185,9%, respetivamente, face a igual mês de 2021. Já relativamente ao mês anterior de dezembro de 2021, as subidas foram de 148,9% e 169,7%, pela mesma ordem, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE).
Estes resultados atingidos em janeiro de 2022 ficam, no entanto, aquém dos observados em janeiro de 2020, quando ainda não havia efeitos da pandemia, apontando o INE reduções de 39,9% nos hóspedes e 38,8% nas dormidas.
As dormidas na hotelaria (80,4% do total) aumentaram 206,5% (-42% face a janeiro de 2020), enquanto as dormidas nos estabelecimentos de alojamento local (peso de 16,1% do total) cresceram 115,5% (-25,7% face ao mesmo mês de 2020) e as de turismo no espaço rural e de habitação (quota de 3,5%) aumentaram 176,9% (+18,2% face a janeiro de 2020).
Em janeiro, 41% dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes (37,0% em dezembro).
Em janeiro, o mercado interno contribuiu com 857,7 mil dormidas, correspondendo a um aumento de 104,5%. Já os mercados externos predominaram (peso de 57,0%) e totalizaram 1,1 milhões de dormidas (+308,7%), revelam os dados do INE.
Comparando com o mês de janeiro de 2020, observaram-se diminuições quer nas dormidas de residentes (-20,1%), quer nas de não residentes (-47,9%).
De acordo com o INE, a totalidade dos 17 principais mercados emissores registou aumentos em janeiro, tendo representado 84,7% das dormidas de não residentes nos estabelecimentos de alojamento turístico neste mês.
Em janeiro, o mercado britânico representou 14,6% do total de dormidas de não residentes, seguindo-se os mercados alemão (quota de 13,4%) e brasileiro (9,4%).
Em janeiro, registaram-se aumentos das dormidas em todas as regiões, distribuídas em maior número por Lisboa (27,8%), seguindo-se o Norte (17,7%), o Algarve (17,3%) e a Madeira (16,9%).
Comparando com o mês de janeiro de 2020, todas a regiões apresentaram diminuição do número de dormidas, com realce para a evolução na Lisboa (-48,7%). Relativamente às dormidas de residentes, a Madeira registou um ligeiro decréscimo (-0,4%), seguindo-se o Centro (-13,4%) e o Alentejo (-15%). Em termos de dormidas de não residentes, verificaram-se diminuições superiores a 40% em todas as regiões, com exceção da Madeira (-34,1%).
No que diz respeito à estada média nos estabelecimentos de alojamento turístico, em janeiro, esta foi de 2,34 noites, correspondendo a um aumento 0,8% (+8,3% em dezembro). A estada média dos residentes (1,7 noites) decresceu 8,3% e a dos não residentes (3,26 noites) diminuiu 12,4%. 

Partilhar nas redes sociais

Últimas Notícias
Encontrados dois cadáveres em alojamento local no Porto
27/01/2023
FC Porto começa "Champions" de hóquei com empate
27/01/2023
Sérgio Conceição: "Temos uma fome incrível de conquistar este título"
27/01/2023
Proposta de criminalização do consumo de droga “não é feliz”, defende membro do grupo municipal de Rui Moreira
27/01/2023
Defesa de Vale e Azevedo recorre para o Tribunal Constitucional contra contumácia
27/01/2023
Jovem de 19 anos morre em despiste de mota em Lordelo do Ouro
27/01/2023
Labirinto
27/01/2023
Clube dos Pensadores assinala 10 anos da presença de Miguel Relvas
27/01/2023
Encontrados dois cadáveres em alojamento local no Porto
27/01/2023
FC Porto começa "Champions" de hóquei com empate
27/01/2023