O Município cedeu o edifício onde vai instalar-se um laboratório de cinema, especialmente dirigido aos meios analógicos, que funcionará num modelo cooperativo e aberto ao público.
Luzes, câmara, ação: o futuro Laboratório de Cinema da Torre já tem espaço destinado em pleno coração da Ribeira, a dois passos do Rio Douro. Num edifício que é propriedade do Município, situado nas ruas estreitas da zona do Barredo, vai funcionar este projeto cultural, que adotará um modelo cooperativo e aberto ao público. Dedicará uma atenção especial aos meios analógicos e vai ter uma componente prática, de experimentação, e formativa.
“Com a ocupação deste imóvel, pretende-se desenvolver o projeto Laboratório de Cinema da Torre, com enfoque na prática, experimentação, produção e formação no âmbito dos formatos analógicos de cinema, nomeadamente a película em formato Super-8, 16mm e 35mm”, podia ler-se na proposta então apresentada pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.
“O projeto pretende garantir a fomentação de uma massa crítica e criativa especializada nos meios analógicos cinematográficos, através da disponibilização de um espaço de produção, criação e exibição, e facultando conhecimento técnico, ferramentas, faculdades pedagógicas e infraestruturas. É sua missão a preservação e o desenvolvimento de novas gerações de criadores, contribuindo para um mais amplo e regenerador tecido cultural na cidade do Porto, estabelecendo pontes de internacionalização e exportação de trabalho. O laboratório de cinema experimental apresenta-se como uma oportunidade de expansão das atividades de programação no Batalha Centro de Cinema e de outras atividades de formação comuns acolhidas pelo Departamento de Cinema e Imagem em Movimento”, acrescentava o documento.
“No contexto português não existe nenhum laboratório com este perfil, cooperativo ou associativo, e não lucrativo, que portanto pode ter um uso muito interessante para a classe de realizadores e artistas que trabalham com estes formatos”.
A Câmara do Porto concedeu um apoio no valor de 30 mil euros a este projeto, cabendo à Laia – Cooperativa Cultural promover as necessárias obras de reabilitação e adaptação do imóvel.
A instalação do Laboratório de Cinema da Torre será mais um argumento para o Porto se posicionar enquanto “Cidade do Cinema” – a abertura ao público do Batalha Centro de Cinema deverá acontecer no início de 2022 e a plataforma Filmaporto Film Commission tem vindo a atrair e facilitar filmagens na cidade.