A inauguração da exposição “A inocência em António Paulo Tomaz” é dia 22 de outubro, sexta-feira, às 19h00, na Fundação Cupertino de Miranda, Vila Nova de Famalicão.
Esta exposição homenageia um autor que pela sua breve passagem na história do Movimento Surrealista deixou-nos uma obra de carácter raro e simbólico que excecionalmente teve a merecida oportunidade para se apresentar. A exposição estará patente até dia 26 de fevereiro de 2022.
Das poucas notícias críticas e biográficas que se pode encontrar sobre as obras do artista plástico António Paulo Tomaz, merece um especial destaque a referência que Maria Jesús Ávila lhe faz no catálogo da exposição “Surrealismo em Portugal. 1934-1952”, onde situa a sua obra em relação com o interesse que despertaram nos surrealistas franceses as produções plásticas de loucos, “primitivos” e amadores, descobrindo nessa obra como característica principal uma marca naif, nunca abandonada, que se resolve em composições delirantes  de formas fragmentárias em contínua transformação, em atrevidas soluções cromáticas, que se concentram e sobrepõem sobre fundos uniformes e indefinidos.