O que as torna tão especiais são os pendentes em ouro e topázios azuis, elementos que fazem delas as bailarinas (nome do modelo) mais valiosas do mundo.
O calçado foi produzido artesanalmente em Portugal, com pele genuína, e revestido a veludo azul. É descrito como uma peça que “une a arte de fazer sapatos com o savoir-faire de mestres joalheiros”, lê-se em comunicado. Este par especial, lançado em 2015, esteve em destaque em algumas das “maiores publicações de moda a nível internacional” e foi apresentado como “as bailarinas mais valiosas do mundo”.
As Josefinas Sal Azul Persa foram inspiradas na “rareza e beleza do sal azul”. Hoje continuam à venda, por encomenda, na loja online da marca portuguesa, por 3390€. Se não as puder comprar, tem a oportunidade de apreciar um exemplar na exposição permanente do Museu da Moda e dos têxteis.
Estas sabrinas têm pendentes em ouro e topázios azuis e custam 3.390 euros. As sabrinas da marca Josefinas estão expostas no Museu da Moda e dos Têxteis, em Vila Nova de Gaia.
Chamam-se Josefinas Sal Azul Persa, são inspiradas na rareza e beleza do sal azul, incluem pendentes em ouro e topázios azuis e custam 3.390 euros. As sabrinas da autoria da empresa portuguesa Josefinas assumem-se como “as bailarinas mais caras do mundo” e até têm lugar no Museu da Moda e dos Têxteis do World of Wine (WOW), em Vila Nova de Gaia.
“Destacadas nas maiores publicações de moda a nível internacional, aquelas que foram apresentadas como “as bailarinas mais valiosas do mundo” são 100% portuguesas e fazem agora parte da exposição permanente do WOW – Museu da Moda e dos Têxteis”, explica a Josefinas em comunicado.
A marca portuguesa Josefinas, conhecida pelas icónicas sabrinas, foi fundada em 2013 por duas mulheres. Atualmente, exporta para mais de 60 países. Uma das missões da marca passa por apoiar mulheres em risco, sendo que, no ano passado, a Josefinas venceu um prémio internacional através de uma campanha contra a violência doméstica.