Réplica do Santuário de Fátima na Venezuela.

Três centenas de luso-venezuelanos participaram domingo num almoço de recolha de fundos para o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, em Carrizal, a 25 quilómetros a sul de Caracas.
Trata-se da primeira atividade pública local, desde o início da pandemia da covid-19 na Venezuela, em março de 2020, impedindo a realização de atividades para recolher recursos económicos e atrasando a execução das obras do santuário.
“O nosso último evento foi em fevereiro de 2020. Começou a pandemia tudo ficou restringido, limitado. Estamos a retomar as atividades sob medidas de biossegurança. A ideia do almoço é continuar a recolher fundos para dar um impulso às obras”, disse Agostinho Gonçalves da Câmara, da Associação Civil Amigos de Nossa Senhora de Fátima.
Apesar das restrições, “as obras não se detiveram”, mas para avançar são necessários mais recursos económicos.
“Desde a chegada da pandemia, temos contado com contribuições de alguns empresários da zona. Chegaram dois contentores com mármore vindos de pedreiras de Fátima, doados pelo Santuário de Fátima em Portugal, e com a ajuda deles, foi possível pagar o transporte, a mão-de-obra, o revestimento de algumas paredes, os balastros, o altar, a pia batismal”, disse.
Além dos portugueses, as diferentes comunidades de imigrantes, como espanhóis, italianos, libaneses e árabes, têm apoiado a construção local da réplica do Santuário de Fátima, em Portugal, acrescentou.
Sobre o Santuário, que começou a ser construído em 03 de julho de 2008, Agostinho da Câmara indicou não ser possível “avançar com a data de inauguração”, apesar de a obra já estar construída “em quase 90%”, por não existir “um orçamento atribuído”, tudo depende dos recursos que vão conseguindo.
“A situação no país levou muita gente que colaborava connosco a emigrar”, lamentou.
O Santuário de Nossa Senhora de Fátima em Lomas de Urquía, no município de Carrizal, conta com 23 mil metros quadrados de construção e o investimento atual ronda os 8,5 milhões de dólares (7,33 milhões de euros)
Estimado inicialmente em mais de 8,6 milhões de euros, o Santuário de Nossa Senhora de Fátima está ser construído pela Associação Amigos de Nossa Senhora de Fátima de Los Altos Mirandinos, organização gerida por um grupo de portugueses.
O projeto envolve a construção de quatro níveis de estacionamento, para 312 viaturas, uma área pública na qual vai funcionar uma escola de língua portuguesa, escritórios de organizações não-governamentais, casa paroquial e salões para festas de casamento e batizados.
No centro está edificado o santuário, com uma área de 3.600 metros quadrados e capacidade para mais de 600 pessoas, com uma fachada inspirada no Santuário de Fátima original.