OPINIÃO
Por Alexandre Gonçalves*

Outubro, Mês da Recepção ao Caloiro!
Recebe e conquista o conhecimento. Faz grandes amizades e não tenhas medo do vento ou da chuva. Desenvolve valores e atitudes, o princípio de um relevante projecto de vida. Espaço de entusiasmo e de incerteza, o festejo silente.

Lágrimas de alegria e de saudade, a força do tempo que teima em tudo modificar. O coração inunda-se de solidão, é o clamor da independência. Abraça as asas da imaginação, é o poder da vida em movimento. Os olhos alegres, e simultaneamente tristes, não têm cor, os meus já não são verdes.

O sabor doce de ser pai, alimentar a tua esperança e fintar o labirinto. Ler o presente e interpretar o futuro. Somos mais vigorosos do que o chão, integral gratidão. O olhar mélico, os trajes pintados e as palavras ternas.
Amor singular, límpido e incondicional, A minha inspiração, luz cintilante. Murmurar conselhos, tanta cumplicidade. Maravilhosa capacidade de amar, a surpresa dos momentos.

Vais enlaçar o mundo longe de mim, desafios a enfrentar e alegrias a festejar. Abraçamo-nos à distância, isso é amor perfeitamente desenhado. O quarto, em tons de amarelo e azul, tem pouca luz, aguardamos pelo fim-de-semana. Deixa os sonhos e o cabelo ondulado à solta, emprega bem o talento que possuis.

Sem nunca partires daqui outra cidade te acolherá, tu és a minha vida. As asas e as raízes proporcionam paisagens sublimes, pigmentadas e longínquas. Expectativas repletas de afecto e a descoberta de caminhos, bálsamos e automatismos diferentes. Não consegui coalhar o tempo e agora a casa ficou gelada e vazia, ainda assim sorrio sempre ao ver-te voar.

* Escritor e Técnico Superior na Divisão de Educação da Câmara Municipal da Guarda