Portugal tem “tendência para traçar o seu próprio caminho e uma capacidade fantástica para manter o que é indiscutivelmente a economia mista de maior sucesso da União Europeia”, diz a revista Foreign Policy num artigo intitulado “Portugal’s Sardine Capitalism Is a Model for the World” (O capitalismo da sardinha português é um modelo para o mundo).
O editor do artigo, Michael Moran, considera que “apesar da crise financeira global há uma década e da desaceleração económica mais recente causada pela pandemia, Portugal emergiu como um modelo de crescimento para as economias menores da Europa”.
O analista considerada que essa economias menos poderosas da UE “têm lutado para equilibrar tradições culturais e valores políticos com as demandas de economias muito maiores, como como Alemanha, França e Itália – com os quais compartilham o euro”.
Mas, defende o artigo, “apesar das algemas fiscais que tal coabitação impõe aos membros menores da zona do euro, Portugal encontrou uma fórmula para manter o custo de vida mais razoável da Europa Ocidental, desemprego relativamente baixo, crescimento económico estável e contentamento público em geral numa era de polarização”.

Facebook
Twitter
Instagram