A procura de alunos estrangeiros por instituições do Ensino Superior portuguesas atingiu o valor mais alto de sempre. Até ao final de maio deste ano foram mais do dobro face aos valores atingidos em 2019, com 3483 pedidos.
Até ao dia 31 de maio deste ano foram registadas 3483 candidaturas para fazer um curso superior em Portugal, adianta hoje o Jornal de Notícias, consultando dados fornecidos pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Estes valores significam um aumento de 132% face a 2019.
De acordo com as informações disponibilizadas, Brasil e Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) continuam a ser os principais países emissores de pedidos internacionais para estudar no nosso país.
No ano letivo de 2019/2020, a primeira remessa de candidaturas apontou desde logo para o dobro dos pedidos face ao ano anterior, mas o fecho de fronteiras devido à pandemia resultou em muitas matrículas por registar. Como tal, houve uma quebra de 18% no número de alunos internacionais inscritos no 1.º ano pela primeira vez.
O secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Sobrinho Teixeira, indicou haver neste momento 65 mil alunos estrangeiros a estudar em Portugal — incluíndo-se os estudantes em Erasmus — e as previsões do Governo é que se chegue aos 90 mil em 2023/2024, “o que implica crescer 25% a 30% ao ano”.

Facebook
Twitter
Instagram