A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, não descarta a hipótese de a vacina contra a Covid-19 passar a fazer parte do Programa Nacional de Vacinação (PNV).
Isto num momento em que a comunidade científica não determinou ainda durante quanto tempo é que as pessoas imunizadas ficam protegidas contra formas graves da doença provocada pelo coronavírus.
“A grande incógnita nesta vacinação contra a Covid-19 é a duração da imunidade. Não sabemos quanto tempo é que uma pessoa corretamente vacinada com duas ou uma dose, conforme a marca da vacina, fica, de facto, vacinada”, aponta Graças Freitas, em declarações à TSF.
“Essa incógnita ainda persiste, e é essa incógnita que vai determinar a necessidade de calendário de alguma vacinação futura”, aponta.
“Neste momento estão todas as equações em aberto, incluindo [a vacina contra a Covid-19] poder vir a fazer parte do Programa Nacional de Vacinação” ou a hipótese de ser administrada “em regime de campanha, como a gripe, ou num outro regime”.
Graça Freitas explica que está tudo em aberto no futuro da vacinação.

Facebook
Twitter
Instagram