O Presidente do Conselho de Administração (PCA) da Groundforce, Alfredo Casimiro, disse hoje que não “haverá condições para o pagamento atempado” do subsídio de férias, depois de vários sindicatos terem recusado o uso do fundo de pensões nesse sentido.
“Perante a recusa pública de vários sindicatos em autorizar a utilização do excedente do fundo de pensões, no valor de três milhões de euros, para pagar o subsÍdio de férias aos trabalhadores da Groundforce, o Presidente do Conselho de Administração da empresa, Alfredo Casimiro, informa que não haverá condições para o pagamento atempado do referido subsídio, não se prevendo quando o mesmo possa ser regularizado”, de acordo com um comunicado, hoje divulgado.

Facebook
Twitter
Instagram