Maria João Andrade, fundadora do atelier MJARC Arquitectos, foi a única portuguesa vencedora do prémio “40under40” dos European Architecture and Design Awards 2020, um concurso que distingue os melhores jovens arquitetos e designers emergentes na Europa. As duas obras que levou a concurso, embora distintas, são o reflexo de uma das suas maiores preocupações: tornar os edifícios mais sustentáveis.
Um dos projetos é a Casa no Vale do Douro, localizada no Marco de Canaveses, que interfere o mínimo possível com a topografia visual da paisagem, pautando-se pela baixa energia, simplicidade espacial e flexibilidade de uso.
A outra obra que a arquiteta levou a concurso foi um edifício hospitalar, em Mirandela, o Centro Nordeal, “a mais avançada clínica de hemodiálise até à data e a única do seu género em Portugal”, segundo se pode ler no site do gabinete de arquitetura.
Centro Renal de Mirandela / MJARC Arquitectos
“Foi com enorme satisfação que recebi este prémio. É um reconhecimento do meu trabalho e de dois projetos que deram particular gozo desenvolver, um numa escala habitacional e outro num programa hospitalar, ambos desafiantes”, explica Maria João Andrade em declarações ao idealista/news.
Segundo a arquiteta premiada, existem pontos em comum entre estes dois trabalhos, nomeadamente a “preocupação na integração da paisagem, da relação do interior com o exterior e proporcionar aos seus utilizadores essa ligação com a envolvente, também o uso das energias renováveis”. “Apesar de muito distintos há aqui realmente pontos em comum e que têm pautado o meu percurso profissional e as minhas preocupações: tornar os edifícios mais sustentáveis e irmos reduzindo a nossa pegada”, refere ainda.
Conta ainda que, por outro lado, nestes momentos difíceis que temos atravessado, particularmente neste último ano, este é também um sinal de esperança para os jovens arquitetos: “Temos o nosso percurso pautado por grandes dificuldades, grandes desafios, nem sempre com oportunidades de podermos mostrar o nosso trabalho, e é o acreditar que é possível, que podemos vir a ser reconhecidos pelo nosso esforço e dedicação, não só no contexto nacional, mas também europeu, e quem sabe outros colegas no contexto mundial”.
Além disso, acredita que este é mais um passo positivo na afirmação das mulheres na profissão. “Temos muito boas arquitetas e temos a oportunidade de mostrar o nosso trabalho numa área que era fortemente marcada por arquitetos premiados masculinos”, frisa.
Os vencedores do concurso “Europe 40 Under 40” para 2020, são figuras em ascensão a nível mundial no domínio da arquitetura e do design e os seus projetos extraordinários e originais. Os quarenta arquitetos e designers de 2020 foram selecionados após avaliação de cada um dos seus projetos por arquitetos de prestígio, professores da Universidade Técnica Checa (CTU) – Departamento de Arquitetura de Praga, República Checa.

Facebook
Twitter
Instagram