A Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia congratulou-se esta quinta-feira pelas obras da fase C do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho não terem sido esquecidas no Orçamento do Estado para 2021. Dos 180 milhões de euros destinados ao setor da saúde, já está “garantida uma primeira tranche no valor de 12 milhões de euros”, lê-se na nota divulgada.
Através das obras da fase C, integrada no Plano de Reabilitação Integrado do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho”, será possível proceder à “integração dos serviços da unidade 2 (Materno-Infantil e Ortopedia) na unidade 1, concentrar os serviços de internamento num único núcleo central, aumentar a capacidade instalada do bloco operatório e garantir condições de dignidade, segurança e conforto do doente”.
De acordo com o presidente Eduardo Vítor Rodrigues, as obras “não significam o fim de um processo”, mas “o início de uma nova aposta”. “Poderemos avançar para negociações com a Santa Casa da Misericórdia (proprietária do edifício onde está a unidade 2) para ali instalar uma Unidade de Cuidados Continuados. Dessa forma, o Hospital de Gaia teria dois braços que o diferenciariam na região: a reabilitação e os cuidados continuados”, adiantou o autarca.
Recorde-se que a primeira fase da obra, designada por A, contemplou a “construção de um novo edifício hospitalar, incluindo a sua ligação aos pavilhões”, enquanto a fase B incluiu a “nova urgência”, inaugurada no final do ano passado. Através desta, foi possível aumentar a capacidade de atendimento de 50% e abrir uma enfermaria com capacidade para 30 camas.

Facebook
Twitter
Instagram