O concelho de Paços de Ferreira, no distrito do Porto, “sofreu um aumento significativo” de casos relacionados com a covid-19, 30% dos quais com origem num surto fabril, passando ao nível Amarelo da transmissibilidade, informou  município este sábado.
“Três semanas após a implementação da Matriz de Risco, que conjuga os dados relativos à incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes e o Risco de transmissibilidade (Rt) a 7 dias, podemos verificar que o concelho de Paços de Ferreira sofreu um aumento de ambos os indicadores, e com essa aceleração passa para o quadrante amarelo da transmissibilidade, com uma incidência muito próxima do limite superior”, refere uma publicação na página oficial do município na rede social Facebook.
Fonte do município explicou que em 31 de março, último dia com dados oficiais disponibilizados, havia 62 pessoas infetadas com a covid-19, sendo que 30% “tiveram origem num surto numa fábrica de estofos” situada no concelho.
A autarquia salienta que esta unidade fabril “foi imediatamente identificada, estando o surto controlado” na fábrica “e a ser acompanhado por elementos das brigadas municipais e pelas autoridades de saúde pública locais”.
A fonte do município acrescenta que o surto, “cuja cadeia de transmissão está controlada, fez com que o número de casos no concelho alterasse a média de 2, 3 casos por dia”.
Em 31 de março, de acordo com os índices da Direção-Geral da Saúde (DGS), o concelho de Paços de Ferreira tinha 110 casos por 100 mil habitantes, passado a representar a “a maior taxa de transmissão” entre o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Vale do Sousa Norte, que abrange ainda os concelhos de Lousada e de Felgueiras.

Facebook
Twitter
Instagram