São cada vez mais as mulheres que se aventuram pelo desconhecido e embarcam completamente sozinhas numa viagem, muitas vezes sem data de regresso marcado. Explorar um novo destino, conhecer novas culturas, aproveitar para se interiorizar com o seu “eu” ou simplesmente porque gostam de viajar sozinhas. Mas, afinal, nem todos os destinos são particularmente hospitaleiros para mulheres que viajam sozinhas.
Consciente dessa problemática, a Condé Nast Traveller divulgou uma lista onde inclui os 10 melhores destinos para mulheres que viajam sozinhas e o Porto ocupa o segundo lugar, sendo o único destino português em destaque na lista.
Segundo escreve Anna Hart, o “cenário digital da cidade significa que mulheres viajantes sozinhas não são de forma alguma uma raridade”.
A conceituada publicação de viagens diz que a cidade do Porto “seduz os visitantes individuais”, sobretudo graças ao “carisma da população local”. Aliás, sublinha que esta característica diferencia a Invicta “de outras cidades mediterrânicas de dimensão e influência comercial semelhantes”.
Sobre o Porto, “os viajantes solitários, com a atitude certa, sentir-se-ão rapidamente bem-vindos numa qualquer esplanada, pousada ou mercado de rua”.
Os “encantos” do Porto – “do dramático rio Douro, às convidativas pousadas ou às ruas estreitas do centro histórico” – são logo destacados para início da descrição sobre a vice-campeã do ranking que, para estas viajantes, pode vir embrulhada por uma vantagem adicional. É que o facto de a cidade ser porto de abrigo de “nómadas digitais” faz com que as mulheres que viajam sozinhas não se sintam, de forma alguma, uma raridade.
Em primeiro lugar da lista surge Ibiza, em Espanha. A medalha de prata é atribuída ao Porto e a de bronze vai para Luang Prabang, em Laos. Osaka, no Japão, Palm Springs, na Califórnia, Perth, na Austrália, e Baviera, na Alemanha, compõem os lugares seguintes do top, que fica completo por Dominica, no Caribe, West Cork, na Irlanda, e Singapura, na Ásia.

Facebook
Twitter
Instagram