As autoridades espanholas desmantelaram hoje uma organização criminosa e detiveram seis pessoas, entre elas um cidadão português, e apreenderam 268 quilogramas de cocaína, na ilha de Lanzarote.
Segundo a agência de notícias espanhola EFE, uma operação conjunta da Polícia Nacional, da Guarda Civil e da Agência Tributária permitiu destruir o maior esconderijo de cocaína situado em Lanzarote, nas Ilhas Canárias.
Segundo as autoridades, a investigação, que contou com o apoio da Agência Anti-drogas americana (DEA), terminou com a detenção de quatro espanhóis, um português e um colombiano.
A operação teve início em junho passado, quando as autoridades policiais descobriram que uma organização criminosa, com sede nas Ilhas Canárias, planeava introduzir no mercado paralelo uma grande quantidade de cocaína proveniente da América do Sul em Lanzarote, usando barcos de recreio.
Os investigadores comprovaram a existência de conexões da rede canária com cartéis sul-americanos, que lhes forneciam a droga de forma regular.
Essa organização contava com uma ampla infraestrutura de barcos de recreio em Tenerife e em Lanzarote, e a rota de acesso da droga consistia em enviar o carregamento de cocaína da América do Sul num “barco-mãe” para um ponto localizado a vários quilómetros das Ilhas Canárias.
Durante as buscas foram apreendidos mais de 146 quilos de cocaína, nove quilos de haxixe, além de vários equipamentos de informática e telecomunicações, entre os quais um rastreador de GPS.
Outra busca, após um dos transbordos realizados no mar, perto de Lanzarote, detetou uma mochila impermeável, flutuando à deriva, com mais 27 quilos de cocaína.

Facebook
Twitter
Instagram