Caso a decisão da Confederação se mantenha, todos os portugueses que viajarem ao país de origem a partir de 14 de dezembro serão obrigados a fazer uma quarentena de 10 dias após o seu regresso a território suíço.
Mais de 11 mil emigrantes portugueses residentes na Suíça assinaram uma petição lançada na rede social Facebook, na página ‘Emigrar para a Suíça’, a solicitar a retirada de Portugal da lista de países considerados de elevado risco de infeção pelo novo coronavírus.
Mas continuam sem resposta a essa petição, enviada à Confederação Suíça há uma semana, para travar a quarentena obrigatória para todos os viajantes oriundos de Portugal. Caso a decisão da Confederação se mantenha, todos os portugueses que viajarem ao país de origem a partir de 14 de dezembro serão obrigados a fazer uma quarentena de 10 dias após o seu regresso a território suíço.
A decisão da Suíça foi anunciada no início do mês e está a gerar uma onde de revolta por parte dos emigrantes, que afirmam ter sido uma decisão baseada em dados desatualizados. “Criei a petição uma hora depois da Confederação ter decidido colocar Portugal na lista, no dia 04 de dezembro, porque reparei que os números estavam inferiores aos limites fixados pela Confederação”, afirmou Samuel Soares, autor da página ‘Emigrar para a Suíça’.
O criador da petição explicou que, quando a Confederação tomou a decisão, em 02 de dezembro, de colocar Portugal na lista de países de elevado risco, “os números não estavam a favor de Portugal”, no entanto, a decisão só foi comunicada publicamente dois dias depois e, nessa altura, “os números de casos em Portugal já tinham diminuído”, reiterou.
“Os portugueses não entendem, nem aceitam, que Portugal esteja na lista dos países de risco”, afirma Samuel Soares.

Facebook
Twitter
Instagram