Na abertura da V Convenção Nacional do Iniciativa Liberal (IL), por videoconferência, para eleger os novos órgãos, mas sem eleições para a presidência, João Cotrim de Figueiredo fez um balanço de um ano de mandato e traçou algumas das prioridades para 2021.
O líder da Iniciativa Liberal avisou este sábado que o partido deve estar preparado para a eventualidade de se realizarem eleições legislativas antecipadas e prometeu que a organização e profissionalização interna são também prioridades para 2021.
Na abertura da V Convenção Nacional do Iniciativa Liberal (IL), por videoconferência, para eleger os novos órgãos, mas sem eleições para a presidência, João Cotrim de Figueiredo fez um balanço de um ano de mandato e traçou algumas das prioridades para 2021.
“Os últimos meses têm produzido uma alteração do clima político, que deixou de tornar tão óbvio e provável que esta legislatura chegue até ao fim”, referiu o líder do IL, lembrando que “os partidos à esquerda do PS” têm feito reivindicações para aprovar o Orçamento do Estado.
O presidente do IL lembrou que, “este ano, o PS decidiu não pagar uma das faturas”.
“Não sei se no orçamento de 2022 estará disponível para pagar qualquer das faturas. A bem do país era bom que não estivesse, porque tudo o que são exigências do Bloco de Esquerda ou do Partido Comunista Português não tendem a contribuir para um Portugal certamente mais liberal ou mais desenvolvido.”
João Cotrim de Figueiredo disse ainda que o primeiro-ministro, António Costa, é um homem de aproveitar as oportunidades, pelo que “se houver oportunidade de haver eleições antecipadas com benefício do PS, ele aproveitará”.
No seu discurso, o líder do IL admitiu ainda que “nem tudo correu bem este ano”. Admitindo a sua responsabilidade, o político apontou que “o partido não fortaleceu a sua organização interna a tempo de responder não só às enormes novas exigências que representação parlamentar trouxe, como ao crescimento grande e acelerado” do partido.
“Assumo um compromisso que no primeiro trimestre de 2021 será dada prioridade à organização interna, modernização e profissionalização do partido, até porque em 2021 temos de estar fortes, porque é um ano cheio de desafios”, sublinhou, recordando a realização das eleições presidenciais e das autárquicas.
João Cotrim de Figueiredo revelou ainda que estão recolhidas as assinaturas, “mais do que as mínimas necessárias”, para a candidatura de Tiago Mayan às presidenciais, e aplaudiu a coragem do candidato para “não deixar que a escolha daqueles que não têm qualquer apreço pelo socialismo se resumisse a votar em alguém que representa o sistema político há mais de 40 anos ou em alguém que é um oportunista e apela ao que de pior a natureza humana tem”.
As autárquicas serão um “desafio grande” e os “núcleos têm uma responsabilidade enorme de identificar talentos locais para integrar listas”.
A Iniciativa Liberal foi reconhecida pelo Tribunal Constitucional em 13 de dezembro de 2017, tendo-se estreado em eleições nas europeias de 2019.

Facebook
Twitter
Instagram