O acordo prevê a interdição, a partir de 1 de janeiro de 2021, da entrada e circulação das viaturas pesadas mais poluentes dentro dos portos de Leixões e Viana do Castelo, o que vai representar uma “diminuição de 50% da poluição”.
O protocolo entre a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) e a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) foi assinado quarta-feira e surge na sequência da decisão de interditar a entrada e circulação de viaturas Euro I, II, III e IV nos portos de Leixões e Viana do Castelo, já a partir de dia 1 de janeiro de 2021.
Haverá um período de transição para as viaturas que, a 31 de dezembro deste ano, estejam já registadas nos respetivos portos. Assim, para os camiões EURO I e II, os classificados como mais poluentes, este período será de 24 meses e as viaturas EURO III e IV terão 36 meses para a adaptação.
Segundo indica a APDL, diariamente entram no Porto de Leixões mais de 1500 viaturas de transporte de mercadorias, que libertam um total de 1,189 toneladas de CO2 para a atmosfera, sendo cerca de 27 % das viaturas pesadas classificadas como EURO I, II, III e IV.
O acordo prevê ainda a redução dos tempos das operações, nomeadamente o levantamento e entrega de contentores marítimos ou outras mercadorias, “contribuindo para a diminuição da emissão de gases para a atmosfera e para a redução da emissão de ruído provocado pela circulação e pela atividade de camiões dentro da área portuária”, assinala a APDL.
A APDL tem vindo a implementar uma série de medidas com vista à melhoria da qualidade do ar na área portuária e, consequentemente, nas áreas envolventes, minimizando os impactos da sua atividade nas cidades e implementando as melhores práticas na gestão dos recursos, de modo a reduzir a pegada ambiental dos seus portos.

Facebook
Twitter
Instagram