O primeiro-ministro, António Costa, garantiu hoje, em Bruxelas, que mantém “total confiança” no ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, considerando que “foi o ministro que fez o que lhe competia” no caso da morte do cidadão ucraniano Ihor Homenyuk.
Numa conferência de imprensa no final de um Conselho Europeu, ao ser confrontado com as palavras da véspera do ministro, que colocara nas mãos do primeiro-ministro a sua permanência no executivo, António Costa lembrou que não costuma “comentar questões de política interna” em Bruxelas, mas fez questão de “abrir uma exceção para que não haja a menor das dúvidas” sobre o seu apoio a Cabrita.

Facebook
Twitter
Instagram