O PS disse que considera que o Fundo do Aleixo está em incumprimento, defendendo que há condições para denunciar o contrato e dissolver o fundo que das 154 habitações tem ainda 86 para construir e 16 para reabilitar.

“A avaliação do Partido Socialista é que o Fundo, o Inversurb, está em incumprimento com o município dos contratos estabelecidos e que havia razões para denunciar o contrato”, afirmou o vereador do PS Manuel Pizarro na reunião extraordinário da Câmara do Porto.
Para o socialista, do ponto vista estratégico, o município devia ser denunciar o contrato e conseguir a dissolução do Fundo Inversurb, o que representaria, considerou, “uma enorme vantagem e interesse público”.
Acresce que, referiu o socialista, o Inversurb tem vindo a longo “de anos e anos” a incumprir o seu contrato com o estado, beneficiando do facto de ter incumprido”, o que “não é aceitável”.
A posição do PS surgiu na sequência de uma proposta de alteração ao contrato com o Fundo do Aleixo que vai permitir a construção de mais 12 fogos, num total de 48, na zona das Eirinhas, sendo os custos suportados pela entidade gestora do fundo.
“O nosso voto a favor a esta proposta em concreto não prejudica a nossa avaliação geral sobre o cumprimento do contrato”, começou por explicar Manuel Pizarro.

Facebook
Twitter
Instagram