As obras de reabilitação do Pavilhão Rosa Mota, no Porto, estão a “correr muito bem” e devem estar concluídas “dentro do prazo”, em “maio/junho de 2019”.

A “montagem do estaleiro começou em fevereiro” e, desde então, a cúpula “foi toda renovada, incluindo as suas 800 janelas”, pelo que “já não chove” no interior do Pavilhão Rosa Mota, adiantou à Lusa Jorge Lopes, da PEV Entertainment, uma das empresas do consórcio.
De recordar que a Câmara do Porto concessionou o espaço a privados por 20 anos, com vista à reabilitação, exploração e instalação de um centro de congressos.
Nos termos do contrato assinado em 2017 entre a autarquia e o consórcio PORTO CEM PORCENTO PORTO (também detido pela construtora Lucios), as empresas comprometeram-se a reabilitar o Rosa Mota “no prazo de dois anos” e a pagar quatro milhões de euros à autarquia pela utilização e exploração do equipamento durante 20 anos”.
O responsável da PEV assegura que a empreitada relativa a está a decorrer “conforme programada”, prevendo-se que esteja pronta “em maio ou junho” de 2019.
Jorge Lopes adiantou ainda que foi também já feito o “rebaixamento do piso -1, onde existiam armazéns e onde vai ser instalado um auditório”.
Em julho de 2017, aquando da apresentação pública do projeto de arquitetura do consórcio PORTO CEM PORCENTO PORTO, composto pela construtora Lucios, a Pev Entertainment (40%) e a Oliveira Santos Consultores (10%), foi divulgado que a recuperação do Pavilhão começava em outubro, devia ficar pronta em 2019 e implicava um investimento de oito milhões de euros.

Fazer do Rosa Mota um espaço “com vida todos os dias” é o objetivo da reabilitação.
Depois das obras, o Rosa Mota vai ficar dotado das “mais modernas e recentes tecnologias”, com bancadas retrateis e versatilidade para acolher feiras, espetáculos para 8.660 pessoas, eventos desportivos para 5.580 pessoas e um centro de congressos para 4.727 pessoas com salas de apoio que totalizam mais 1.400 lugares, revelou o consórcio, citado pelo jornal Público.
O projeto do consórcio limita-se ao interior do pavilhão, edifício projetado em 1952 pelo arquitecto José Carlos Loureiro. De referir que os Jardins do Palácio de Cristal estão também a ser reabilitados pela Câmara do Porto.

Facebook
Twitter
Instagram