Martin Crimp visita-nos para uma conferência que é afinal uma conversa, ambivalência ou indeterminação toda ela muito “crimpiana”, no dia 7 de novembro, no Teatro Nacional São João.

Pediram-lhe certa vez uma definição de si próprio e ele, claro, desconversou: “Um dia, escrevi uma peça chamada Cruel e Terno.” Agora que o recebemos em pessoa, convém recordar que há muito o TNSJ se deixou capturar pela estranha crueldade do seu teatro, em espetáculos de companhias como a ASSéDIO ou o Teatro da Rainha. Revelado no início dos anos oitenta, Crimp vem construindo uma obra marcada por um experimentalismo lúdico e exigente, inventando para cada peça a sua própria estrutura, de que é emblema (A)tentados, com os seus “dezassete argumentos para teatro”. Para o apresentar e com ele conversar, convidámos a investigadora e professora universitária Maria Sequeira Mendes. Inscrita no Fórum do Futuro, cuja edição deste ano tem a Antiguidade Clássica como tema, esta conferência antecipa o regresso do dramaturgo britânico à nossa programação, em março de 2019, com a estreia nacional de The Rest Will Be Familiar to You from Cinema, peça que ele escreveu a partir de As Fenícias de Eurípides.

Facebook
Twitter
Instagram