Os dois principais arguidos no processo crime que envolve funcionários da Segurança Social de Lisboa foram hoje condenados a penas efetivas entre cinco e seis anos.

O processo tem como arguidos 13 pessoas e uma empresa e em causa estavam os crimes de manipulação do sistema informático da Segurança Social, para anulação de dívidas de empresas, aumentos virtuais dos valores de pensões de reforma e atribuição fraudulenta de subsídios de desemprego, mediante recebimento de dinheiro.

Facebook
Twitter
Instagram