O presidente do Turismo Porto e Norte de Portugal, um dos cinco detidos por alegada viciação de procedimentos de contratação pública, voltou ao Tribunal de Instrução Criminal (TIC), após uma primeira inquirição finda na madrugada deste sábado.

Um advogado do processo clarificou anteriores informações que apontavam para a conclusão do interrogatório a Melchior Moreira na madrugada de ontem.
“Podem até vir a alterar essa pretensão, mas todos demonstraram vontade em falar”, disse então.
As medidas de coação serão divulgadas no final dos interrogatórios, subsistindo dúvidas se isso poderá hoje, domingo ou mesmo na segunda-feira.
Os cinco arguidos foram detidos na quinta-feira pela Polícia Judiciária (PJ), no âmbito da denominada operação Éter, que incluiu ainda buscas em entidades públicas e sedes de empresas.
Em causa estarão ajustes diretos realizados nos últimos dois a três anos, que somados ultrapassam os cinco milhões de euros.

Facebook
Twitter
Instagram