A saída de Marques Alexandre aconteceu na tarde desta segunda-feira, na sequência da nomeação pelo ministro da Defesa do novo diretor-geral desta força policial, Paulo Isabel.

A razão está relacionada com o facto de o próximo diretor-geral ter menos anos de carreira militar do que o diretor da unidade de investigação criminal da Polícia Judiciária Militar (PJM), algo importante na hierarquia militar.
Tal como o diretor-geral agora nomeado, Marques Alexandre tem uma patente equivalente à de coronel, mas tem mais três anos de serviço, o que causou mal-estar dentro da PJM.
Marques Alexandre não aceita ficar sob o comando de um diretor-geral menos antigo.
Fonte oficial do Ministério da Defesa apenas confirma que o diretor desta unidade de investigação criminal manifestou a vontade de regressar ao Exército, o seu ramo de origem, sem adiantar as razões do pedido de saída.
Vale a pena sublinhar que Marques Alexandre é nesta altura o máximo responsável da PJM, enquanto o novo diretor-geral não assume o cargo e Luís Augusto Vieira, o anterior diretor-geral, está em prisão preventiva .

Facebook
Twitter
Instagram