A primeira-ministra britânica tenta segurar o partido dilacerado por divergência sobre a saída da União Europeia. May quer fazer do Brexit “um sucesso, independentemente do resultado das negociações”.

É um apelo que Theresa May mistura com críticas aqueles que, como Boris Johnson, consideram “louco” o plano da primeira-ministra britânica para saída do país da União Europeia.
Em várias entrevistas, a poucas horas do arranque da reunião magna dos Conservadores, em Manchester, Teresa May, que até fez campanha pela permanência do Reino Unido na União Europeia, disse que acredita no plano Chequers para o Brexit.
“Ao contrário do anterior primeiro-ministro, eu lutei por isto. Eu acredito em concretizar o Brexit de uma forma que respeite o voto do povo britânico mas que, também proteja a nossa união, os nossos empregos, e que garanta que esta saída seja um sucesso no futuro”.
Questionada no programa da BBC Andrew Marr Show, sobre se o plano de livre comércio com a União Europeia “está morto”, Teresa May garantiu que tem “ambições” para o Reino Unido e quer obter ” um bom acordo” nessa matéria, apesar da recusa do Conselho Europeu, na cimeira da semana passada em Salzburgo, Áustria.

Vamos fazer do Brexit um sucesso independentemente do resultado das negociações“, disse May.
Para o partido, a líder dos conservadores britânicos deixou um apelo à união.
Deviam parar de brincar com o Brexit e unirem-se para conseguirmos o melhor acordo para o Reino Unido”, avisou.
O tom foi retomado numa outra entrevista, no Sunday Times, onde Teresa May acusou os críticos de estarem a “minar o interesse nacional”.
May defende que a sua proposta para o país sair da União Europeia é a única “viável”.
A primeira-ministra britânica anunciou que ainda que, durante o congresso, vai propor medidas para cobrar mais impostos aos estrangeiros que adquirirem casas no Reino Unido e avançar com propostas para a criação de um festival nacional “histórico” para celebrar o ‘Brexit’.

Facebook
Twitter
Instagram