A leiloeira Drouot, em Paris, vai acolher, pela primeira vez, uma feira internacional de arte urbana, de 26 a 30 de setembro, na qual vão estar obras dos portugueses Vhils, Pantónio e do lusodescendente Hopare.

A District 13 – International Art Fair vai juntar cerca de 20 galerias de street art provenientes de França, Estados Unidos, Chile, Reino Unido, Tunísia e Hong Kong, e nomes como Banksy, Shepard Fairey, Intie, David De La Mano, entre muitos outros.
Esta vai ser a primeira feira dedicada à arte urbana no Hôtel Drouot, «um ponto central da arte contemporânea e uma instituição emblemática da história da arte», onde foram leiloados, por exemplo, quadros de Picasso, Matisse, Braque e Dalí.
«A Drouot encarna a história da arte parisiense em que foram escritas algumas das mais belas páginas de alguns movimentos artísticos, como o Cubismo. Agora, fazemos um piscar de olhos para inscrever a `street art` num local simbolicamente muito importante», disse à agência Lusa Mehdi Ben Cheikh, diretor artístico da feira.
O também diretor da Galerie Itinerrance sublinhou que é a «primeira vez» que a leiloeira acolhe uma feira de street art, e que quer que Paris se afirme como «a nova capital da arte urbana».
Mehdi Ben Cheikh explicou, ainda, que a feira vai ter uma exposição coletiva com obras de artistas internacionais, nomeadamente de Vhils e de Pantónio, que os stands das galerias vão expor peças dos seus artistas e que vai realizar-se um leilão no último dia do evento, mas sem nomes portugueses.
Alexandre Farto, conhecido como Vhils – que este ano expôs no centro cultural Centquatre-Paris e na galeria Danysz, na capital francesa – vai também estar exposto no stand da galeria norte-americana Over The Influence.
A galeria Avenue des Arts, de Hong Kong e Los Angeles, vai apresentar obras do artista lusodescendente Alexandre Monteiro, conhecido como Hopare e considerado, em França, como uma figura emergente da arte urbana.
O nome da feira “District 13” é uma alusão ao projeto Tour Paris 13, um prédio de nove andares, destinado a demolição, que foi transformado num «museu de arte efémera», em 2013, por cerca de 80 artistas, entre os quais onze portugueses, nomeadamente Vhils, Pantónio, ± MaisMenos ±, AKACorleone, João Samina e Add Fuel.
“District 13” é, ainda, uma referência ao 13.° bairro de Paris, onde o galerista Mehdi Ben Cheikh tem dinamizado o projeto “Street Art 13”, um percurso com cerca de 50 murais monumentais de artistas de todo o mundo nas fachadas dos prédios, incluindo de Pantónio e de Vhils.

 

Facebook
Twitter
Instagram