A investigadora Fátima Carneiro foi eleita a patologista mais influente do mundo pela revista científica “The Pathologist”. Fátima Carneiro é professora catedrática da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), diretora do serviço de Anatomia Patologia do Centro Hospitalar São João (CHSJ) e investigadora no Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da U.Porto (Ipatimup), atualmente integrado no i3S.
Ao longo de dois meses, a publicação britânica inquiriu patologistas de todo o mundo sobre quem consideravam merecedor do título, tendo a médica portuguesa sido reconhecida pelos pares, figurando em primeiro lugar numa lista com 100 posições.
Segundo a Lusa, os colegas de profissão destacam as capacidades de Fátima Carneiro não só na sua área de especialidade, mas também enquanto professora universitária e ao nível da liderança.
A docente da FMUP é autora de mais de 250 artigos científicos, contribuiu para o desenvolvimento de vários capítulos de livros de especialidade e tem versado grande parte da sua investigação sobre o cancro gástrico.
Ao longo da sua carreira foi presidente da Sociedade Europeia de Patologia (2011-2013) e, em Portugal, coordenou a Rede Nacional de Bancos de Tumores (2008). Atualmente Fátima Carneiro preside a Academia Nacional de Medicina Portuguesa.
Recorde-se que em 2015, o título de patologista mais influente do mundo foi atribuído ao médico português Manuel Sobrinho Simões – também ele docente da FMUP, fundador do Ipatimup, e patologista no CHSJ. Manuel Sobrinho Simões integra também a Top 100 desta edição da revista científica “The Pathologist”.
Facebook
Twitter
Instagram