A Casa Branca anunciou ontem que o líder norte-coreano, Kim Jong-un, solicitou, numa carta, a realização de um segundo encontro com o Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, cuja coordenação já está a ser trabalhada.

“O principal objetivo da carta era solicitar, e ver como se pode concretizar, um novo encontro com o Presidente”, disse Sarah Sanders, porta-voz de Donald Trump, numa conferência de imprensa, na Casa Branca, em Washington.
A Casa Branca informou hoje (10) que o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, enviou uma carta ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na qual pede um novo encontro entre os dois.
Esta foi a primeira entrevista coletiva de Sanders em quase três semanas, algo incomum na Casa Branca. O afastamento é resultado dos confrontos entre o governo Trump e a imprensa norte-americana.
Na histórica cúpula de Singapura, Trump e Kim concordaram em trabalhar para desnuclearizar a Coreia do Norte. No entanto, as diferenças sobre como realizar o processo logo travaram o diálogo.
A Coreia do Norte exige a assinatura de um tratado de paz com a Coreia do Sul para encerrar o estado de guerra que tecnicamente está em vigor desde 1953 em troca de executar os passos concretos para desmantelar seu arsenal nuclear, como quer a Casa Branca.
Depois de um pico de tensão que provocou o cancelamento de uma viagem do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, a Pyongyang, Trump retomou o discurso amigável em relação a Kim.

Facebook
Twitter
Instagram