Alemanha está na primeira posição, entre as 70 nações representadas.

Portugal concluiu, no dia 26 de agosto, os mundiais de canoagem no sétimo lugar do medalheiro, com os dois ouros de Fernando Pimenta em Montemor-o-Velho.
O triunfo inédito em K1 1000 e a revalidação do cetro em K1 5000, valeram à seleção lusa ficar atrás somente de Alemanha, Hungria, Rússia, Bielorrússia, Canadá e Brasil, no melhor desempenho da sua história.
A Federação Internacional de Canoagem (ICF) e a Associação Europeia de Canoagem (ECA) colocaram os Mundiais realizados em Montemor-o-Velho ao nível do melhor que a modalidade já fez na sua história.
«Já tínhamos a experiência da boa organização da federação nos Mundiais sub-23 e júnior. Tínhamos a tranquilidade de sabermos que íamos organizar um bom evento. Fazemos um balanço muito positivo. Uma equipa profissional que proporcionou um campeonato de altíssimo nível», elogiou Jose Perurena, presidente da ICF.
Já o presidente da ECA, Albert Woods, destacou, em declarações à agência Lusa, «mais uma excelente organização portuguesa, no patamar mais elevado do que se tem feito na canoagem internacional».
A federação tem o desafio de promover também os Mundiais de maratonas, entre 06 e 09 de setembro, na Vila de Prado, em Vila Verde, empreitada que não preocupa o inglês.

Facebook
Twitter
Instagram