Álvaro Sobrinho, ex-presidente do BES Angola (BESA), foi ontem interrogado pelas autoridades judiciais das Ilhas Maurícias. O ex-banqueiro foi ouvido, entre outros assuntos, sobre os seus investimentos nas Ilhas Maurícias, arquipélago situado na costa ocidental de África.

O multibilionário percorreu o solo de Maurício no dia da quinta-feira, 23 de agosto. Assim que foram informados, os investigadores do ICAC prepararam o interrogatório. Trabalharam toda a noite toda para finalmente chegar ao Royal Park , Balaclava, ontem de manhã cedo. A Unidade Especial de Apoio foi convocada para o site. Álvaro Sobrinho supostamente conduziu os cães de caça do ICAC nas instalações da Álvaro Sobrinho África Ltda (ASA) em Ebena, que eles supostamente procuraram.
Por volta das 9h10 da manhã, Álvaro Sobrinho e seu advogado, Morari Gujadhur, chegaram ao ICAC em Réduit.
Durante sete horas ele foi confrontado com versões de testemunhas anteriores. Um interrogatório durante o qual, é explicado nos círculos em questão, o empresário teria sido muito cooperativo. Por outro lado, seu advogado teria mostrado várias reservas.
As questões do estabelecimento do Instituto Planet Earth , suas ligações com Dass Appadu, ex-secretário da presidência, ou seus pedidos para a compra de moradias dentro do desenvolvimento da terra do Royal Park teriam sido abordadas. O conjunto é comparado com as palavras de Ken Poonoosamy, vice-diretor do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Ameenah Gurib-Fakim, ex-presidente da República, ou Dass Appadu, que foram ouvidas pela comissão no passado.
Por enquanto, a comissão anti-corrupção não ouviu nenhum funcionário do FSC. No entanto, houve várias denúncias de interferência política no licenciamento do grupo de Álvaro Sobrinho. Além disso, Dhiren Dabee, ex-vice-presidente do FSC, e três outros membros renunciaram devido a essa interferência. Quanto à esfera política, suas ligações com um ministro do governo também poderiam ser abordadas.
Dependendo do resultado do interrogatório, o ICAC pode solicitar um relatório sobre a saída do comissário de polícia.
Espera-se que Álvaro Sobrinho saia do país hoje à noite. Além disso, ele pode ser chamado a assumir o compromisso de ficar à disposição da comissão. No momento, uma objeção à partida não está prevista.

Facebook
Twitter
Instagram