Este verão, a Fabridoce decidiu ensaiar um novo modelo de distribuição para as suas lojas próprias, franchising e outros pontos de venda de referência horeca através da recolha de embalagens de gelado vazias.

Para promover a recolha e assegurar posterior reutilização, a Gelados de Portugal recompra as embalagens aos seus clientes. Uma vez regressadas à fabrica, as embalagens são inspecionadas para apurar se estão conformes, são lavadas, higienizadas e reintegradas no processo produtivo. Ao invés de terem serventia única, as embalagens de 5,5 litros têm uma “esperança de vida” superior a quatro utilizações. “Aproveitaremos os próximos meses para perceber de que forma podemos melhorar a eficiência da recolha das embalagens, relativamente ao custo e operacionalidade, de forma a que no próximo ano possamos alargar a iniciativa a mais pontos de venda”, explica a Fabridoce.
A medida representa ainda pouco mais de 50% das embalagens que movimenta atualmente mas a empresa acredita que pode ser um passo importante para reduzir o impacto ambiental da marca. “Quando a Fabridoce criou a marca Gelados de Portugal em 2013 estávamos conscientes que ostentar o nome de Portugal na nossa marca seria uma enorme responsabilidade. Responsabilidade no desenvolvimento de sabores reconhecidamente nacionais, responsabilidade na compra de matérias-primas de origem portuguesa e responsabilidade em promover um processo de produção que assegure sustentabilidade ambiental”, refere ainda.

Facebook
Twitter
Instagram