O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou, esta terça-feira, que foi mal interpretado quando referiu, em Helsínquia, que não entendia por que a Rússia teria interferido nas eleições de 2016 nos EUA.

De regresso à Casa Branca, Donald Trump afirmou que a sua intenção era afirmar que não via os motivos porque a Rússia “não será” responsável.
O Presidente norte-americano afirmou ainda que aceita as conclusões das agências de inteligência do país sobre a alegada ingerência da Rússia nas eleições presidenciais em 2016, apesar de negar que a sua campanha tenha colaborado nessas ações.
Donald Trump falou um dia depois da reunião que teve com o Presidente da Rússia, Vladimir Putin, em Helsínquia, tendo sido alvo de várias críticas em relação às suas declarações na conferência de imprensa conjunta.
Em Helsínquia, Trump não condenou a alegada ingerência da Rússia nas eleições presidenciais e recusou-se a afirmar se acreditava mais nas agências de inteligência americanas do que na Rússia.
Na segunda-feira, em Helsínquia, Vladimir Putin disse que queria que Donald Trump vencesse a eleição presidencial de 2016, mas rejeitou que tenha tomado alguma atitude durante a campanha eleitoral para que isso acontecesse.
Putin referiu que pretendia a vitória de Donald Trump devido às suas políticas.
Donald Trump reafirmou que não houve “conluio” entre a sua campanha e os russos. Também Vladimir Putin negou tudo, durante a conferência de imprensa conjunta dos dois líderes.

Facebook
Twitter
Instagram