Os nove arguidos no caso das agressões a jogadores do Sporting, na Academia de Alcochete, estiveram a ser ouvidos entre hoje e ontem no Tribunal do Barreiro.

Horas depois de ter terminado o interrogatório no Tribunal do Barreiro. Nas alegações finais que se seguiram, o Ministério Público pediu a medida de coação mais gravosa – a prisão preventiva – para os nove arguidos.
Ao início da tarde desta quarta-feira, o juiz de instrução criminal do Tribunal do Barreiro deu por concluído o interrogatório aos oito detidos suspeitos de envolvimento nos incidentes de 15 de maio na Academia do Sporting, em Alcochete, mas apenas um prestou declarações.
Este nove arguidos juntam-se aos 27 detidos logo após os incidentes na Academia e que também ficaram em prisão preventiva. De referir que destes ‘novos’ arguidos, um não marcou presença em tribunal por motivos de saúde.
Na operação conjunta realizada na segunda-feira pela Guarda Nacional Republicana (GNR) e Polícia de Segurança Pública (PSP), foram ainda identificados e constituídos arguidos mais três pessoas, às quais foi aplicada a medida de coação menos grave, de termo de identidade e residência.
A operação decorreu de uma investigação dirigida pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa às agressões a jogadores e técnicos da equipa de futebol do Sporting, levadas a cabo por cerca de 40 alegados adeptos encapuzados, em 15 de maio.

Facebook
Twitter
Instagram