Na origem das buscas estarão crimes de tráfico de influência, corrupção e abuso de poder.

A Câmara Municipal de Oeiras foi, esta quarta-feira, alvo de buscas, revelou a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.
Numa nota divulgada na sua página oficial, a Procuradoria-Geral detalha que as buscas ocorreram no âmbito de uma investigação a “crimes de tráfico de influência, corrupção passiva e ativa, participação económica em negócio e abuso de poder”.
Durante as operações, foram apreendidos “documentos de índole contabilística” e mensagens de correio eletrónico, para constituição de provas, no entanto, ainda não foi constituído qualquer arguido.
A Câmara Municipal de Oeiras é liderada pelo independente Isaltino Morais, que voltou à presidência da autarquia, com a vitória nas eleições autárquicas de 2017, depois de ter cumprido mais de um ano em prisão, entre abril de 2013 e junho de 2014, por crimes de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais.

Facebook
Twitter
Instagram