Chega ao fim neste domingo a exposição Germinal sobre a arte contemporânea portuguesa que Pedro Cabrita Reis selecionou nos últimos 30 anos e que está na Galeria Municipal do Porto.

Uma das melhores oportunidades de aproveitar e mergulhar na coleção, seguindo o conselho dos curadores Pedro Gadanho e Ana Anacleto, é participar na última visita guiada, às 16 horas de sábado, ainda que a exposição esteja acessível todo esse dia, entre as 10 e as 18 horas, e ainda no domingo das 14 às 18 horas.

“Germinal – núcleo Cabrita Reis na coleção de arte da Fundação EDP” trouxe ao Porto, desde março último, uma seleção das obras que o artista plástico sinalizou no início do percurso artístico de 30 autores, alguns dos quais são hoje consagrados.

Essa capacidade visionária é que explica a “extraordinária qualidade da coleção que soube construir a partir do início dos anos de 1990, ao adquirir obras a jovens a quem era ainda difícil de colar o rótulo de artista. Alguns por serem ainda estudantes, outros por não terem ainda completamente definido o rumo a tomar”, como refere o jornalista Valdemar Cruz no Expresso.

Ora, “a representatividade genérica do que se vê em Germinal” – escreveu Celso Martins também no Expresso – é “fruto de duas condições: um acompanhamento próximo e curioso do trabalho dos artistas e uma ausência de sectarismo que permitiu olhar as diferentes sensibilidades e tendências da arte portuguesa dos anos 90 e 2000 de uma forma abrangente, quase panorâmica”. Daí que a exposição seja simultaneamente “um banho de nostalgia” e uma oportunidade para “reconhecer em muitas das obras emblemas e fraturas de um tempo decisivo”. Para os artistas e para a arte contemporânea portuguesa.

Esta é, portanto, uma oportunidade única, tanto mais que representa a estreia da nova coleção da EDP, que só mais tarde será exibida no MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, e onde podemos entender – como Constança Babo, da Arte Capital – que o trabalho prospetivo de Cabrita Reis na criação deste acervo permitiu desenhar “a promessa de algo singular e valioso, com tanta personalidade quanto o próprio”.

Em “Germinal – núcleo Cabrita Reis na coleção de arte da Fundação EDP”, estão representados 33 artistas: Ana Pinto, António Olaio, Carlos Bunga, Carlos Roque, Francisco Queirós, Francisco Tropa, Gil Heitor Cortesão, Hugo Canoilas, Joana Vasconcelos, João Ferro Martins, João Louro, João Paulo Feliciano, João Pedro Vale, João Tabarra, Jorge Queiroz, José Loureiro, Luís Nobre, Noé Sendas, Nuno Cera, Paula Soares, Paulo Brighenti, Paulo Mendes, Pedro Cabral Santo, Pedro Gomes, Rodrigo Oliveira, Rosa Carvalho, Rui Calçada Bastos, Rui Moreira, Rui Toscano, Rui Valério, Sílvia Hestnes Ferreira, Vasco Araújo e Vasco Costa.

Horário: sexta e sábado – 10h00/18h00

domingo – 14h00/18h00

Visita guiada: sábado, 16h00

Galeria Municipal do Porto (Jardins do Palácio de Cristal)

Acesso livre

www.galeriamunicipaldoporto.pt

Facebook
Twitter
Instagram