Os trabalhadores da sucursal francesa da CGD consideram que o diálogo com a administração do banco “se tornou impossível”. Realçam que 71% das agências fecharam e que as restantes estão a funcionar com falta de pessoal. Neste contexto, os trabalhadores convocaram uma greve, que se vai iniciar a 17 de Abril.

Os trabalhadores da sucursal francesa da Caixa Geral de Depósitos (CGD) acusam a administração do banco público de não ter tomado “qualquer medida” para melhorar a situação da instituição. E contextualizam: “34 agências em 48 fecharam” e  as agências que ainda estão operacionais têm funcionários a menos.
Os funcionários exigem que seja dada informação sobre a “venda/fecho da sucursal”, assim como as medidas que serão tomadas para garantir a manutenção dos postos de trabalho. Além disso exigem que sejam tomadas medidas para “revalorizar os salários”
Assim, em assembleia-geral de trabalhadores foi decidido, “pela quase unanimidade dos participantes”, realizar uma greve a partir de 17 de Abril.
Os trabalhadores realçam a “gravidade da situação” e o respeito que os funcionários, os clientes, e, em especial, a comunidade portuguesa, merecem, pedindo para que alguém se sente à mesa das negociações.
Os trabalhadores salientam ainda que, se não houver medidas por parte da CGD, o conselho de administração o banco público será “a única responsável de tudo o que possa acontecer”.

Facebook
Twitter
Instagram