Depois de em 2016 ter estado patente na Cité de l’Architecture et du Patrimoine, em Paris, a mostra “Os Universalistas – 50 anos de arquitectura portuguesa” apresenta-se agora pela primeira vez em Portugal, na Nave Expositiva da Casa da Arquitectura, que está a decorrer em Matosinhos até 19 de agosto.

A inauguração da exposição contou com a presença da Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro, do Vice-Presidente, Eduardo Pinheiro, do Vereador da Cultura da autarquia, Fernando Rocha, do Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, do Diretor Regional de Cultura do Norte, António Ponte, do diretor executivo da Casa da Arquitectura, Nuno Sampaio, de Artur Santos Silva, Teresa Patrício Gouveia, Eduardo Souto Moura, entre muitos convidados.
A abertura do certame incluiu uma visita guiada pelo comissário da exposição, o arquiteto Nuno Grande, tendo-se seguido, pelas 22h00, o debate “Portugal, um ‘outro’ universalismo”, com testemunho de Eduardo Lourenço e a participação de Alexandre Alves Costa, João Belo Rodeia e Nuno Grande (moderação).
“Os Universalistas – 50 anos de arquitectura portuguesa” é uma exposição multimédia que propõe um olhar sobre meio século de pensamento e produção arquitetónica portuguesa, percorrendo o trabalho de arquitetos de referência como Fernando Távora, Alberto Pessoa, Ruy d’Athouguia, Manuel Tainha, Pancho Guedes, Nuno Teotónio Pereira, Nuno Portas, Álvaro Siza, Alcino Soutinho, Eduardo Souto de Moura, João Luís Carrilho da Graça, Manuel Graça Dias; e também de alguns dos mais promissores arquitetos portugueses das últimas décadas, como Manuel e Francisco Aires Mateus, ARX Portugal, Paulo David, Paula Santos, João Mendes Ribeiro, Cristina Guedes e Francisco Vieira de Campos.
Na exposição misturam-se materiais relativos a 50 projetos – incluindo maquetes, desenhos técnicos e fac-símiles de esquissos ou esboços de arquitetos – com fotografias, textos e caricaturas que refletem as transformações político-sociais em Portugal, nos últimos 50 anos.
Organizada e produzida pela Casa da Arquitectura e coorganização da Fundação Calouste Gulbenkian e da Cité de l’Architecture et du Patrimoine, a exposição será acompanhada por um programa paralelo de grande abrangência, a decorrer na sala de conferências da nave Expositiva, e que incide sobre alguns dos conteúdos da mostra.

Facebook
Twitter
Instagram