O ciclo municipal Um Objeto e seus Discursos por Semana entra no espírito pascal e dedica a sessão do próximo sábado às amêndoas. 
As Drageias Bonjour, mais conhecidas como amêndoas de licor da Arcádia, são uma tentação a que qualquer degustador terá dificuldade em resistir, e ainda mais propícias à prova depois das privações quaresmais.
Pelas 18 horas deste sábado de Pascoela, a proposta é para ir ao encontro da história, da feitura e do sabor daquelas drageias, numa especialíssima sessão com direito a demonstração – haverá oportunidade para observar a pintura das drageias ao vivo, por Patrícia Matos Leite, uma das “bordadeiras” de drageias de licor Bonjour, que trabalha com a marca há quase duas décadas.
Desde 1933, data da sua fundação, que as drageias são produzidas e decoradas na Rua do Almada, na fábrica da Arcádia, nas traseiras da loja. Não sendo possível reunir neste espaço mais do que uma vintena de pessoas de cada vez, a sessão de Um Objeto e seus Discursos por Semana decorrerá num espaço mais adequado, contíguo a outra das lojas da Arcádia: o Palácio do Bolhão.
A conversa conta com Lois Ladra, antropólogo e arqueólogo especialista em amêndoas, e a artista visual Ana Pérez-Quiroga, sob moderação de Rita Brás, designer da Arcádia.
Ana Pérez-Quiroga (Coimbra, 1960) é licenciada em Escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, Mestre em Artes Visuais pela Universidade de Évora e Doutorada em Arte Contemporânea pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra. Expõe desde 1999, com destaque para participações institucionais em Falconer Gallery-Grinnell, Iowa, EUA; World Art Museum, Pequim, China; Villa Savoye-Le Corbusier, França. Das exposições individuais, destacam-se as do MAAT- Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, Museu Nacional de Arte Antiga, Museu do Neorealismo, Museu de Arte Popular e Convento de Cristo. Tem integrado programas de residências internacionais com bolsas de apoio à criação da Fundação Gulbenkian, Fundação Oriente, Institut Français du Portugal – Cité International des Arts e do Criatório promovido pela Câmara do Porto.
Por seu lado, Lois Ladra, natural da Galiza, viveu, estudou e trabalhou em Portugal durante cerca de 10 anos, sendo Mestre em Arqueologia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, diplomado em Estudos Avançados de Arqueologia pela USC – Santiago de Compostela, licenciado em Antropologia Social e Cultural (UNED) e em Geografia e História (UCMadrid). Recebeu vários prémios de investigação e é autor de vários artigos científicos e livros, entre os quais “A cultura da amêndoa no Douro Superior” (Museu do Douro, 2013) e “Notas de etnologia culinária e património cultural imaterial no vale do Tua: as amêndoas cobertas de Santa Eugénia (Alijó)”, publicado no número 63 da Revista Tellus (Vila Real, 2015).
Rita Brás, natural de Vila do Conde (1992), é licenciada em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, integrando desde 2016 o departamento de Design e Marketing da Arcádia Casa do Chocolate.
Facebook
Twitter
Instagram