14ª edição arrancou com “Ensaio sobre o espetáculo”.
O ciclo de leituras dramatúrgicas Salvé a Língua de Camões apresentou a primeira leitura do ano no dia 22 de fevereiro, no auditório do espaço Irene Vilar do Museu da Quinta de Santiago, em Leça da Palmeira.

A iniciativa, que vai já na sua 14ª edição, visa promover a divulgação de dramatúrgias em língua portuguesa, apresentando leituras encenadas de textos de autores consagrados e emergentes, estimulando assim o intercâmbio nacional e internacional de atores, dramaturgos, criadores e estudiosos do teatro dos vários países de expressão portuguesa.
A noite de quinta-feira marcou o regresso deste projeto ao Museu da Quinta de Santiago acolhendo a dramaturgia “Ensaio sobre o espetáculo” de Marco António Garbellini, com direção de William Gavião.
No elenco, Marta Giesta, Rui Vale e William Gavião retratam “um homem descontente com a própria vida que vai ao teatro e se apaixona pelo personagem interpretado por uma atriz. Mas essa paixão também não o satisfaz, o que leva a história a um fim trágico.”
Marco António Garbbellini é ator, produtor e diretor. Fez formação de atores no INDAC – Instituto de Arte e Ciência, no curso de Teatro SESC e, em direção, na ECA da Universidade de São Paulo. Fundou o GEP – Grupo de Estudo Permanente do Teatro onde vem pesquisando a dramaturgia do ator como foco principal e a transposição de obras literárias para o palco.
Recorde-se que Salvé a Língua de Camões é um projeto promovido em parceria pela Câmara Municipal de Matosinhos e pela Companhia de Teatro Reator de Matosinhos, com direção de leitura de William Gavião, e que conta com outros parceiros, como o Centro de dramaturgia contemporânea de São Paulo e o Teatre dels Argonautes, de Barcelona.
A próxima leitura do Salvé a Língua de Camões está já agendada para o dia 29 de março, com “a Espantosa Câmara dos Espelhos do Senhor Ninguém”, de Cláudia Maria de Vasconcellos. No Museu da Quinta de Santiago, pelas 21h30.

Facebook
Twitter
Instagram