A partir de um dos mais icónicos e modernos edifícios de Matosinhos, mas com vista para o porto de pesca – entre o futuro e a tradição, o Terminal de Cruzeiros de Leixões foi o local escolhido para acolher hoje uma iniciativa pioneira da Câmara Municipal de Matosinhos, que juntou diplomatas de nove países da América do Sul e empresários do concelho num almoço de networking destinado a tentar estimular as exportações de Matosinhos para aqueles mercados.

A presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro, realçou, aliás, que as autarquias têm de, cada vez mais, assumir o papel de “facilitadores de negócios”, uma vez que, acrescentou, “quanto melhor correr a vida das empresas do concelho, melhor andará a economia e a qualidade de vida das pessoas”, com empregos mais qualificados e mais desenvolvimento.
O encontro contou com a presença de diplomatas do Panamá, Uruguai, Colômbia, Peru, Paraguai, República Dominicana, Argentina, Brasil e Cuba, representando um mercado potencial de quase 400 milhões de pessoas, os quais puderam contactar com empresas e instituições como a Ramirez, o Ceiia, a ESAD, as Conservas Pinhais, a Casa de Arquitectura, a JC Sá Souto ou a EFACEC. As empresas presentes neste almoço foram responsáveis, sublinhe-se, por 386.810.052 de euros das exportações realizadas em Matosinhos em 2015, tendo sido selecionadas de acordo com a sua vocação exportadora e a adequação às principais necessidades de importação dos países sul-americanos.
A secretária geral da Casa da América Latina, Manuela Júdice, sublinhou, de resto, que Matosinhos, mais do que um concelho vivo, ativo e dinâmico, é um concelho capaz de ser proativo e de assumir este importante papel catalisador, apadrinhando a relação entre as empresas e os seus mercados potenciais. Parceira da Câmara Municipal de Matosinhos nesta iniciativa, Manuel Júdice destacou ainda o facto de Matosinhos ter sido capaz de criar uma casa para a arquitetura, “uma das áreas em que Portugal dá cartas no mundo”, tendo, ainda por cima, uma ligação forte ao brasileiro Paulo Mendes da Rocha.
Em nome dos demais diplomatas presentes, a embaixadora do Uruguai, Brigida Scaffo, saudou também o espírito e o objetivo do encontro promovido pela Câmara Municipal de Matosinhos.
O almoço contou também, entre outros, com a presença do vice-presidente Eduardo Pinheiro e dos vereadores Fernando Rocha, Correia Pinto, Ângela Miranda e José Pedro Rodrigues, da administradora da Matosinhos Sport, Helena Vaz, e do presidente da União de Freguesias de São Mamede Infesta e Senhora da Hora, Leonardo Fernandes.

Matosinhos, refira-se, é um dos principais concelhos exportadores da região, tendo, em 2017, sido responsável por vendas ao exterior no valor de perto de 900 milhões de euros. Face ao ano anterior, o volume de exportações das empresas com sede em Matosinhos aumentou quase 150 milhões de euros. Matosinhos foi, aliás, o segundo município com maior evolução no valor das exportações entre 2016 e 2017, da Área Metropolitana do Porto: cresceu 19% enquanto a AMP e o Norte cresceram 8%.
Após o almoço, os diplomatas presentes visitaram ainda a Fábrica de Conservas Pinhais, o Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto do Centro para a Excelência e Inovação da Indústria Automóvel (Ceiia) e a Casa da Arquitectura-Centro Português de Arquitectura.

Facebook
Twitter
Instagram