Contrariamente ao que muitos veiculam, o Porto atual “não é uma cidade periférica, é sim uma pequena metrópole europeia com uma dinâmica fantástica”, onde a sustentabilidade está a ser considerada nas suas diversas vertentes.
Neste contexto, há desafios que não importa escamotear e exigências que importa fazer, como é o caso de uma efetiva descentralização. Sem contornar temas sensíveis, o presidente da Câmara, Rui Moreira, mediu hoje o pulso à realidade local, em debate promovido pela AEP.

“O Porto e a sua Sustentabilidade” foi o tema do encontro, que teve o autarca como orador convidado. Numa exposição abrangente, Rui Moreira começou por referir que “se antes o Porto de Leixões era considerado o mais caro da Europa, o Aeroporto do Porto era visto como uma anedota e o centro histórico da cidade perdia mais de metade dos seus habitantes”, hoje o cenário da cidade em termos de sustentabilidade é de “otimismo”, mas também de grande exigência.
Facebook
Twitter
Instagram