A Escola Secundária de Paredes, em colaboração com o Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR), encontram-se a trabalhar no projeto ERASMUS +, denominado Marine Litter Awareness Though Learning By Doing Together.

O projeto terá uma duração de 24 meses e tem como principal preocupação a defesa dos recursos hídricos e sensibilizar para a poluição provocada pelo plástico.
O vereador do pelouro da Educação do Município de Paredes, Paulo Silva, recebeu esta quarta-feira, 14 de fevereiro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, um grupo de professores relacionado com este projeto, constituído por representantes de Itália, Espanha, Chipre e professores da Escola Secundária de Paredes.
Paulo Silva felicitou os ex-colegas professores da escola local, pelo envolvimento neste projeto e realçou o seu empenho. “Espero que a escola se envolva mais neste tipo de projetos e que os grupos que o integram visitem o concelho de Paredes mais vezes”.
O vereador sublinha que “temos iniciativas próprias na rede Erasmus e outras por via do projeto EPPIS, que visa combater o abandono e insucesso escolar, e às quais pretendemos dar continuidade”.
“A mobilidade de pessoas de países diferentes, que pensam nas mesmas respostas a problemas comuns é a grande aposta”, admite.
Juan Diego Giraldo responsável pelo convite à Escola Secundária de Paredes e pela Associação de Ambiente Europeu enalteceu a hospitalidade e a forma como foram recebidos, bem como as ações, que também são desenvolvidos noutros países, como Itália, Espanha e Chipre. Diz que é um sonho concretizado. “Há muitos anos que o instituto europeu lutava pelo programa Erasmus”.
O coordenador do projeto Erasmus na Escola Secundária de Paredes, José Alberto Pereira, agradeceu a oportunidade e os momentos partilhados. “A câmara compreende bem os apoios e as necessidades que precisamos para esta iniciativa”, destacou.
Refira-se que o projeto Erasmus tem como principal objetivo, designadamente, aumentar as ligações de integração entre os centros educacionais e as redes de associações civis locais para as competências interculturais, sobre ciências marinhas e a divulgação participativa da comunidade.
Recorde-se que tem como país coordenador a Espanha, envolvendo a Asociación Ambiente Europeu (AAE) de Múrcia, que trabalha com o tema da poluição marinha desde 2010.
De Portugal, faz parte a Escola Secundária de Paredes.
De Itália participa uma escola de Alghero que é uma cidade no noroeste da Sardenha, a segunda maior ilha italiana.
Do Chipre, integra o projeto uma escola secundária de Paphos, que se localiza numa cidade costeira no Sudoeste, cuja história remonta ao período neolítico.

Facebook
Twitter
Instagram