Moradores da Alameda da Aldeia Nova, na freguesia de Nogueira e Silva Escura, entre os quais um de mobilidade reduzida, mostram-se indignados com alguns problemas que se vêm arrastando naquela zona e que alegadamente serão da responsabilidade da CM Maia.

Referem que existem extintores fora do prazo de validade há quase 9 anos; casos de humidade dentro das casas; rampa de acesso ao condomínio degradada (que dificulta o caminhar de qualquer pessoa, agravado quando existem moradores com mobilidade reduzida, nomeadamente idosos e deficientes motores); muro lateral que acompanha a rampa de acesso apresenta grandes fissuras (foi-lhe alegadamente retirada uma pedra para análise e até hoje não foi reposta a pedra, nem reparado o muro); porta corta-fogo que dá acesso às garagens não fecha; parede da caixa de escadas (que faz a passagem do rés do chão para as garagens) encontra-se remendada, apresenta o tijolo à mostra porque, alegadamente, após ter sido feita uma reparação num cano de uma das casas do rés do chão, nunca chegou a ser terminado o serviço e rebocada a parede.
A Câmara da Maia, que tem vindo ao longo dos últimos quatro anos, a proceder, de modo programado, à reabilitação do seu vasto parque habitacional, diz que a operação estará concluída em 2019, com um custo total acima dos 15 milhões de euros, inteiramente suportado pelo orçamento municipal. No caso vertente, o custo da intervenção é de cerca de 200 mil euros.

Facebook
Twitter
Instagram