João Ribeiro, atleta da União Poveira de Karaté (UPK), foi selecionado para representar Portugal no Campeonato Europeu – que decorreu no fim de semana passado na Rússia – tendo conseguido conquistar uma vitória frente ao adversário da Bielorrússia (5-0) mas tendo sido derrotado pelo adversário seguinte, da Turquia.

Regressado da Rússia na segunda-feira, o karateca foi diretamente do aeroporto para o tatami. Persistência, dedicação e espírito de sacrifício são características de personalidade partilhadas pelos grandes atletas e o João não foge a esta regra.
Apesar do resultado obtido no Campeonato Europeu não ter sido o que o atleta desejava, desistir do sonho de se tornar um karateca de referência em Portugal não faz parte dos seus planos. Com 17 anos e a frequentar o 12º ano de escolaridade, João Ribeiro não tem uma vida semelhante à dos seus amigos. Não sai à noite e mesmo a maioria das tardes livres são passadas a estudar para que possa dedicar as noites e os fins de semana ao Karaté. O pai do atleta, José Ribeiro, acompanha o filho em todas as competições e apoia-o financeiramente e emocionalmente mas a decisão de dedicar a sua juventude ao desporto é exclusivamente do João. Não falta a um treino, a uma competição.
Apontar o facto de um pai apoiar um filho financeiramente pode parecer óbvio para quem não tem filhos praticantes de Karaté de alto nível. Para esses pais, passamos a explicar: a participação em todas as competições é paga e, consoante os clubes, paga pelos pais. No caso específico do João, é o pai que paga – não só as inscrições nas competições – também as deslocações (combustível, portagens, alimentação e hospedagem). Por ano, José desembolsa seis a oito mil euros para que o filho tenha a oportunidade de crescer enquanto atleta de alto nível. Isso implica participar em competições como o Europeu na Rússia. Mas, então, a Federação de Karaté não paga os custos de uma participação numa competição tão prestigiante como um Europeu? A resposta é curta e grossa. Não. Tal como aconteceu num passado recente com outros karatecas poveiros de grande nível, como Vitalie Certan, João Ribeiro foi apoiado pela Câmara Municipal nesta deslocação ao estrangeiro e essa foi a única ajuda financeira oferecida ao atleta.
Fernando Miranda, treinador do João, aponta como sua principal característica enquanto atleta a vontade de arriscar no tatami. No entanto, a sua melhor faceta é a boa educação e dedicação ao Karaté.

Facebook
Twitter
Instagram