A Câmara Municipal de Paredes, através dos seus serviços de Limpeza Pública, dispõe de um sistema de recolha de resíduos, nomeadamente de “monstros ou monos” (colchões, mobiliário), papel/cartão, embalagens, resíduos elétricos e eletrónicos, que, pelo seu volume, forma ou dimensões, não podem ser recolhidos pelos meios normais de remoção.

Segundo o vereador responsável pelo pelouro do Ambiente, Francisco Leal, “este sistema de recolha permite não só aumentar a percentagem de materiais recicláveis, mas garante, também, uma maior qualidade do serviço prestado”.
Francisco Leal sublinha ainda a importância de reforçar a aposta “na defesa dos valores da proteção ambiental, englobando os munícipes numa estratégia coletiva de boas práticas em prol do desenvolvimento económico, social e ambiental do concelho de Paredes”.
O responsável pelo pelouro do Ambiente da autarquia, Francisco Leal, admite que “a sociedade civil paredense está apostada num concelho mais limpo”.
Recorde-se que a autarquia recolhe também os “desperdícios verdes” resultantes das podas das árvores e manutenção de jardins. Este serviço, de acordo com a Postura de Resíduos Urbanos, prevê apenas a recolha de pequenas quantidades que devem estar devidamente acondicionadas.
Refira-se, ainda, que a deposição deste resíduo junto aos contentores de recolha de Resíduos Sólidos Urbanos ou espaço público é punido com uma coima entre 100 euros a 1000 euros.

Facebook
Twitter
Instagram