A RDUZ – Gestão Global de Resíduos, SA, na pessoa do seu Presidente do Conselho de Administração, Carlos Benta, foi distinguida pelo Rotary Club da Póvoa de Varzim com galardão “Profissional do Ano”.

O prémio foi entregue ontem à noite num jantar no Axis Vermar e contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira.
E a propósito do âmbito da distinção, o autarca referiu-se também à sua função de Presidente do Conselho de Administração da Lipor que lhe dá “além da perspetiva local da problemática dos resíduos, também uma visão regional ou intermunicipal. E é claro que quem dirige uma empresa desta dimensão e desta relevância nacional e internacional tem de estar muito bem informado do que hoje se faz, nestas matérias, nas melhores estações de tratamento, na Europa e em todo o mundo desenvolvido”.
Neste sentido, Aires Pereira reconheceu que “a RDUZ, uma empresa poveira que se dedica à gestão global de resíduos, é uma empresa de excelência nos setores em que opera, e que são muitos”, acrescentando que “presta aos municípios e ao seu serviço intermunicipal (a LIPOR) uma colaboração inestimável e insubstituível, ou seja, é um parceiro dos municípios – e dá a esta parceria um cunho voluntário”.
O Presidente recordou que “a RDUZ nasceu da L.N.B. CAR, que inicialmente se dedicava à recolha de papel e plástico. Um projeto que adquiriu dimensão nacional pela perceção da necessidade de preservamos a saúde do planeta. O Sr. Carlos Benta viu, antes dos outros, esta oportunidade de negócio. É este o rasgo que define o empresário”.
O Presidente da Lipor aproveitou para anunciar duas novidades importantes para o nosso concelho. A primeira prende-se com “a construção do novo Ecocentro nos terrenos em que estava previsto ser o aterro da Lipor, em Laundos, e onde será também construída uma Estação de Transferência. As obras são da Lipor e começam dentro de dias”. A outra mais valia refere-se com o facto da “Lipor ter adquirido, ao longo dos anos, cerca de 60 hectares de terreno naquele sítio que agora vão ser colocados no mercado como loteamento industrial”, ou seja, “passará a haver, na Póvoa de Varzim, uma oferta para a colocação de novas empresas, para a criação de postos de trabalho e para a criação de riqueza num local estratégico do concelho”.
Aires Pereira fez questão de se referir à alteração do sistema de recolha na Póvoa de Varzim: “vamos passar a focalizar a nossa recolha na recolha porta-à-porta, ou seja, um convite a que as pessoas façam a separação dentro da sua residência para depois o Município recolher”. Deste modo, “quem contribuir para a reciclagem será ressarcido e terá um retorno em função daquilo que é a sua contribuição”. Este será o processo implementado em 2019 nos oito municípios da Lipor.
O edil revelou ainda que será introduzido “um 4º circuito de recolha só para resíduos orgânicos”, alertando para a importância destes resíduos para a produção de energia elétrica e também para a produção de um adubo biológico.

Facebook
Twitter
Instagram