“É com orgulho, mas admito que também com alguma vaidade, que acompanho a evolução deste canal que, modestamente, ajudei o FC Porto a comprar.

Apresentei os proprietários do canal ao FCP. Num momento em que o FCP não tinha condições financeiras para comprar o Porto Canal, a Administração do FCP pediu-me ajuda para o conseguir. Gizei um Plano de Negócios em que o FCP tomava de aluguer o canal durante três anos e, no fim, tinha uma opção de compra com preço fixado – para que o aumento de valor do canal pelas audiências que o acordo com o FCP lhe ia trazer não aumentasse o preço. Se quiser saber como elaborei este esquema de financiamento, está tudo nos e-mails do FC Porto. E está também nos meus e-mails. E se for o caso de não saber (mas duvido que não saiba), se pedir à contabilidade do FCP quanto é que cobrei por este serviço, a resposta que vai ter é que nem um euro”, disse o presidente da SAD dos azuis.

Facebook
Twitter
Instagram